UM PASSO ALÉM DO SEU LIMITE.

Foi algo estranho. Não doeu como eu imaginava. Não sabia ao certo o que eu sentia, parece que cresci, deixei de ser criança. Acho que foi toda a emoção da hora. Arrumei-me bem. Cabelo, unha, maquiagem. O psicológico também foi cuidado. Bom, isso só acontece uma vez na vida certo?! Eu sabia disso, então quis que tudo desse certo. Queria aproveitar tudo. Em algum dia sei que meus filhos me perguntarão sobre isso e teria o maior prazer em contar. O dia 27 de julho ficou marcado pra sempre na minha vida. A minha primeira vez. O meu primeiro emprego.

… (Declaração da nossa amiga Brosélia)

Coisa. Coisa séria. Coisa que não cai do céu. Coisa responsável. Coisa que assusta. Coisa de doido. Isso é a coisa do primeiro emprego. Para alguns tão simples. Comum. Não, não, acho que é especial a todos.  Especial pelo modo que veio. Trouxe um patrocínio a mais pra saída à noite. Veio com o cansaço e a reclamação, que nós gostamos de reclamar.

Trabalhar. Dar a sua força. Estranho. Estranhamente bom. Foi um ato de coragem. Um ato adulto, – diz a mãe. Sua importância? Indescritível. Incomparável. Talvez seja o que te projeta. Talvez só a experiência, conta. Mas conta. Conta sair da preguiça. Conta viver mais. Ser ousado. Acordar cedo. Buscar mais. Se conhecer mais. Conhecer novos gostos. Novas ondas. Ondas. Maré. Maré ao seu favor. Quando a maré vem alta. Vem das boas. Vem do bom emprego. Da confiança. Confiança em quem nunca trabalhou. Em quem nunca foi trabalhador.

O primeiro emprego. Bom. Bom pra uns. Triste pra outros. Uns querem, uns não. Mas talvez todos tem a consciência que um dia essa responsabilidade chega. Chega pra ficar. Pra decidir.

Mas e se o seu caso for…

– Não arrumo emprego por não ter experiência.

Procure fazer cursos técnicos. Básicos. Fazer trabalhos voluntários. Destaque-se. Conheça as pessoas certas, para procurar nas horas certas. Tenha visão. Estratégias. Conforme o mercado, apresente projetos. Peça indicação. Corra, vá atrás.

“ESCOLHE UM TRABALHO DE QUE GOSTES, E NÃO TERÁS QUE TRABALHAR NEM UM DIA NA TUA VIDA.” – CONFÚCIO

Se você não entender por que um determinado site está ai, leia bem e olhe bem. Algum motivo tem!

Programa Primeiro Emprego – PNPE

O difícil primeiro emprego

Carreiras – Economia

Rotatividade No Emprego É Maior Entre Jovens

Meu Primeiro Emprego – Istoé Dinheiro

Experiência e Primeiro Emprego – Planeta News

Como Conquistar o Primeiro Emprego – YOUTUBE

Abaixo segue uma entrevista com Fernando de Magalhães Furlan. Experiente. Manja do negócio.

Qual sua função agora?
Atualmente exerço o cargo/mandato de conselheiro do CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, autarquia federal vinculada ao Ministério da Justiça, responsável por julgar processos de fusões e aquisiçlões empresariais (Sadia/Perdigão, Oi/Brasil Telecom, Pão de Açúcar/Casas Bahia, etc.). Também sou professor de direito econômico em uma faculdade privada aqui em Brasília.
Seu primeiro emprego como foi?
Fui professor de Inglês nas Escolas FISK de Florianópolis
Qual a importância que você atribui a ele?
Nunca deixei de ser professor. Hoje sou professor universitário. Também foi importante pois o Inglês é hoje um idioma universal e no meu trabalho sempre temos de ler contratos e outros documentos redigidos em Inglês e participar de eventos no exterior.
Ele te levou a ser quem você é hoje?
Em parte sim, pois ainda sou professor e, por outro lado, me ajudou a buscar uma carreira com forte contato internacional.

….no último post entrevistamos a Rosana, proprietária da TV Concórdia. Também falamos que algumas coisas acontecem com uma forcinha de quem conhecemos. Então…Levantar naquela manhã fria, matar aula e fazer o post nos rendeu o nosso primeiro emprego. Nos aguardem…o vídeo a seguir é uma chamada para uma nova etapa das nossas vidas.

Nós do Coffe With Letters, que conseguimos nosso primeiro emprego por esse desafio, temos certeza de que ele vai nos proporcionar diversos caminhos a nosso favor. Não desista de nós, assim como não desistimos do que nos é proposto. Agradecemos ao apoio de todos e continuem acompanhando-nos, não acabamos por aqui.


| 31 Comentários

NOVO TIPO DE CALVÍCIE DESCOBERTO: SATURAÇÃO.

Paixão. Talvez vocação. Acomodação. Melhor é paixão. Paixão por fazer. Paixão pela admiração. Sensação. Talvez viesse da infância, da juventude. Mas veio o gosto. Gosto estragado? Não! Apenas saturado. SATURADO. Essa é a palavra. Esse é o medo, o susto, a insegurança, essa é a calvície.

Passamos por tudo. Achamos soluções, novas tinturas para os cabelos brancos. Encontramos a nossa escolha. ALELUIA! Não?! Não mesmo. Chega uma idade em que surge a calvície. Nome dela é Saturado. Pois é, depois de tanto tempo na escolha você descobre que o mundo inteiro está fazendo a mesma coisa que você quer fazer. E agora? Fazer ou não fazer? Passar e encarar todo aquele processo de escola de novo?! Calma, não precisa de tudo isso. Precisamos apenas avaliar a situação. Fácil.

– Eu quero mesmo fazer o curso que escolhi e por quê?

– A minha região precisa de pessoas nesse ramo?

– Será que eu não posso expandir a minha visão em relação a isso?

Aham. Parecem fáceis de serem respondidas e são. Um curso saturado como veremos na entrevista pode ser levado como “qualquer um”. Todas as áreas que existem para trabalhar, hoje, precisam de bons profissionais. Pessoas interessadas em trabalho. Pessoas dispostas a ter mais. A dar mais. E os tônicos para a calvície você mesmo pode fazer como, por exemplo, quem você conhece pode te ajudar a chegar a algum lugar. Uma vez li a seguinte frase: “Muitas coisas na vida depende de quem você conhece”. Não se envergonhe em pedir ajuda. Para o primeiro emprego após a faculdade ( durante também vale) conta também trabalhar na área do seu curso, isso facilitará em muito.

Independente do curso que você escolher destaque-se. Seja bom, mostre o que sabe e o que quer. Não perca os cabelos por tão pouco!

Como comentei acima, algumas coisas da vida conseguimos por quem conhecemos. Conheço uma pessoa muito especial e que se liga no assunto pra falar com nós.  Ladies and Gentlemen com vocês Rosana.
PS1: A entrevista demorou um pouquinho então está em dois vídeos.
PS2: sim! esquecemos o café

Realizamos também uma pesquisa com algumas pessoas sobre o nosso tema. A pergunta foi exatamente esta: Você acha que vale apostar em cursos saturados? Segue abaixo um gráfico que mostra a opinião popular.

Se a voz do povo é a voz de Deus que assim seja… “SATURADOS na moda” ( todos os entrevistados que falaram sim fizeram um comentário sobre qualificação.)

Vale mostrar alguns comentários:

Ana Maria: Acho que vale sim, porque sempre tem o que destaca e consegue superar os que já estão no mercado

Fabrício: Eu acho que depende de cada um, tem gente que faz o curso porque gosta de tal coisa e tem gente que faz mais pelo dinheiro que se pode ganhar futuramente. Mas pra mim eu faria sim.

Daniela: Ah! Eu acho que sim, se é o que pessoa gosta, não tem que desisti. Só vai ser um pouco mais difícil conseguir emprego, mas acho que vale a pena sim.

Willian: Acho que não, ou melhor, tudo depende do caso. Se você estiver afim de se qualificar vale.

Jéssica: sim, se é o que você gosta vale. quando gostamos de algo realmente lutamos por isso.



Galera e pra quem quer saber mais, muuuito mais, se liguem nos sites abaixos. Vejam que até entre eles existem discordâncias sobre o tema.

Como Escolher Sua Profissão – Mundo Vestibular

Gente por hoje é isso e nos aguardem teremos uma grande surpresa pro próximo post. Aaaah! E  não esqueça: sem saturado só qualificado.

Publicado em Estudos! | 20 Comentários

A INDÚSTRIA GRITA: QUALIFICAÇÃO!

O que da natureza vinha nos bastava. Bastava água e alguns animais. As coisas mudaram. O homem cresceu. O homem mudou. Evoluiu. Criou um novo mundo. Um mundo industrializado. E como é da natureza humana evoluir, esse mundo industrializado não para.

Não paramos em matéria de criação. Aprimoramentos. Para trabalhar com isso precisamos não só de profissionais que criem, mas que possam trabalhar com as criações. Nossas indústrias estão cada vez mais avançadas. Precisamos cada vez mais de pessoas que estejam avançadas. Pessoas que se disponham a buscar mais e não parar no básico. Quem está gritando por isso são exatamente as indústrias que precisam de profissionais qualificados por menor que seja a sua função.

Entrevistamos Marta Helena Ferri do SINE de Concórdia que nos falou sobre as vagas que estão sobrando. A mesma afirmou que as indústrias procuram profissionais qualificados e que estes faltam no mercado, dando um porque para as vagas não preenchidas. Comentou também, sobre o curso oferecido para adolescentes de baixa renda: técnico em vendas e informática. Os adolescentes já saem do curso direto para o mercado de trabalho, todos empregados.  Outro motivo que nos foi apresentado é o seguro desemprego. Muitos perdem o emprego e se acomodam no seu “direito”, como a entrevistada simplificou a visão um em cada cem desempregados que aparecem no SINE não procuram um emprego para exercerem após o termino do seguro.

O ramo industrial da região de Concórdia é alimentício, mas nunca irá sobrar, por exemplo, profissionais que sejam especializados em informática. Para as especializações não faltam portas. O SENAI, por exemplo, foi criado exatamente para acompanhar e contribuir para o crescimento industrial capacitando a classe trabalhadora.

Segue o link do SINE Catarinense:

SISTEMA NACIONAL DE EMPREGOS – SC

Outro ponto que podemos caracterizar pela falta de pessoas para preencherem as vagas é o da condição em que alguns funcionários trabalhavam nas indústrias. Condições precárias, no caso.

Algumas Pesquisas foram feitas com populares sobre o nosso tema: Porque sobram vagas de emprego na indústria?

Sandra Mantovanello: Porque falta qualificação para muitas pessoas. A empresa pode exigir muito do funcionário e o mesmo acaba não acompanhando o ritmo.

Enelise Lunardi: Vagas de trabalho são o que menos falta. A todo o momento são geradas novas vagas. O que realmente falta são pessoas que estejam qualificadas para assumirem essas vagas.

Rodrigo Hackenhaar: Pelo interesse. Antes os cursos técnicos injetavam milhares de profissionais no mercado anualmente, esse número caiu drasticamente decorrente ao aumento do interesse da população pelos cursos de nível superior.  Decorrente disso as áreas técnicas de grandes indústrias, e não só as técnicas, mas a de produção também começaram a perder profissionais. Tais profissionais agora migram para as faculdades em busca de uma melhor condição de vida, já que o acesso a estas se tornou muito mais fácil do que era antigamente.

As entrevistas podem reforçar a ideia. Mesmo pessoas que estão fora do ramo industrial podem afirmar que vagas de empregos existem o que falta é profissional qualificado.

Galera, por mais que hoje nosso tema foi sobre a indústria não podemos esquecer que bons profissionais, como já falamos em outro post, sempre estarão em falta.

Todos os gomos da nossa sociedade necessitam de pessoas capazes de se manterem atualizadas e com disposição para mais.

Abaixo, há um vídeo encontrado no youtube, cujo conteúdo remete à geração de novos empregos.

Publicado em Estudos! | 19 Comentários

QUERIDO DIÁRIO ELETRÔNICO

Hoje meu dia foi muito produtivo, mas um pouco confuso. É estou confusa em algumas coisas. Na escola conversamos sobre a faculdade (pra variar) e ai eu pensei: bom eu sei em que área quero trabalhar, mas tem diversos cursos que posso fazer e em diversas universidades, E AGORA?  Tipo tem toda aquela coisa… particular ou pública? Avaliar o conceito da faculdade… essas coisas me deixaram um pouco perdida então falei com umas amigas minhas e elas me mandaram um e-mail pra me dar uma ajudinha saca só:

  • “Querida Brosélia, entendemos o teu problema. Problema de muitos. São escolhas. Escolhas sempre terão um “q” de problema. Pense por um instante: que bom que há muitos cursos e diversas universidades. Todos querendo dar o melhor. Pode oferecer o melhor e quem sai ganhando? Nós os alunos. Nosso único dilema em algumas universidades é alcançar a vaga. Busque na internet, fale com pessoas que possam lhe dar algumas dicas de universidades bem conceituadas. Veja qual delas poderá facilitar a sua vida. Pense se você quer morar na sua cidade ou se quer estudar fora. Analise com seus pais como será a sua renda. Todo isso pode ajudar a fazer uma escolha. E na escolha do curso seja prudente. Se você já sabe a área é um bom começa e pro resto? (Leia o último post do nosso blog.)”
  • “Olá Broséélia, amiga do céu antes de qualquer coisa, peguei o John naquela festa, nossa obrigado pelas dicas. Voltando a falar do nosso assunto em especial, eu fiz algumas perguntas pra um amigo meu, o Douglas Manfré ele está cursando Medicina na Univalli de Itajaí, as respostas dele foram muito úteis, vou lhe passar a nossa conversa:

Quais foram os critérios pra tu escolher essa faculdade que tu estas estudando agora?

D: Eu observei as qualificações, presença de estrutura e outras coisas. Avaliei métodos de ensino, conversei com pessoas que haviam cursado lá. Ouvi também relatos sobre a própria “fama” da faculdade. De ser uma faculdade boa, etc.

Tu achas que o lugar escolhido pra estudar, seja uma faculdade federal ou particular, faz a diferença?

D: Com certeza, as faculdades têm convênios com instituições. Elas podem te oferecer determinados estágios, intercâmbios e várias outras oportunidades. Lógico que o esforço do aluno conta muito na sua formação, mas às vezes o esforço pós-formação pode ter que ser muito maior partindo de uma faculdade com menor rendimento no curso ou menos conceito.

O que é preciso avaliar pra escolher o lugar\faculdade pra estudar? Tendo em vista que hoje existe grande diversidade de instituições de ensino…

D: Dependem as tuas pretensões. Acredito muito que infra-estrutura para o aprendizado conta muito. Os professores, o material, os laboratórios a disposição. Observar o currículo do curso na faculdade. Conversar com alguém naquela faculdade é uma maneira muito boa de você cursar. Se for uma particular, procurar acessibilidade também, as vezes o curso não é tão barato, você pode visar um lugar  com moradia mais barata, mensalidade não tão alta assim. Mas sempre prezando pela qualidade do ensino.

  • “Brooo! Amiga, tu sabes que nesses últimos anos eu vivo estudando e estudando pra conseguir passar numa faculdade boa, então venho aqui, te mandar alguns sites MUITO bons, eles me ajudam bastante, e tenho certeza que vão te ajudar também. Como tua dificuldade é achar uma universidade que se encaixe nos teus gosto e gastos, tu podes dar uma pesquisada nesses guias de faculdades:

Colégio Web – Guia de Faculdades

Seja Bixo – Faculdades

Universidades Brasil e Mundo

Mas, não se prenda muito a sites, tente falar com amigos que fazem faculdade e etc, eu acho que esse é o melhor caminho, ouvir diversas opiniões… Mas também, não precisa se descabelar se não achar o curso ou a faculdade certa na primeira vez. Qualquer coisa eu estou aqui, se precisar, é só dar um toque que eu ajudo mais. Beijos :* “

Então meu companheiro fiel acho que com tudo isso posso tentar decidir alguma coisa não é? claro sempre haverá algum risco, mas riscos são presentes em tudo. Eu posso fazer uma boa escolha se eu for com calma e prudente. estou indo. tenho muito pra fazer. tenho que conversar com muitas pessoas. ai ai tudo vai dar certo *-*

__________________________________________________________________________________________________________________

Essa história é literalmente ficção, a entrevista é real. Mas nossas escolhas são cada vez mais reais. Esperamos poder ajudar alguém. Lembre-se antes de tudo: nem tudo depende só da faculdade, noventa e nove vírgula nove por cento do seu sucesso é você quem faz.

Publicado em Estudos! | 17 Comentários

A ESCOLHA CERTA.

Correr, gritar, surtar, enfartar, morrer. Não, calma. É só uma escolha. É só a profissão. Nada de mais. Será que é tão difícil pensar assim? É.

Escolher. Escolher a coisa certa. É o que esperamos. É o que queremos. Seria bom se tivéssemos uma bola de cristal que mostrasse o futuro. Uma bola que conforme pedíssemos mostraria aonde chegaríamos. Mas infelizmente essa bola não existe. E a não existência dela faz com que os cabelos brancos da adolescência cheguem. Vivendo em um mundo capitalista é claro que as tintas, para ajudar a cobrir os brancos, são criadas a todo o momento. Agora é a nossa vez de dar as dicas para uma boa pintura.

Para começo de conversa sempre é bom procurar um profissional que entenda do assunto. Falamos com a professora Silvana Bonato Sordi, Professora de Enfermagem da faculdade UNC Concórdia, ela diz: o curso superior é muito importante, acarreta em um bom emprego, mas que fazer o curso muito cedo nem sempre é a melhor pedida, pois os adolescentes nem sempre sabem o que querem. Alguns alunos que passaram pelo curso, segundo ela, deixavam claro que faziam o curso por obrigação ou por ser de fácil entrada, pelos pais pagarem e que os mesmo não tinham como se dar bem. O melhor é fazer algum estágio em que você possa realmente se encontrar, diz ela.
Fazer a escolha por gosto. Achar os cursos em que você se encaixa e depois ir eliminando por detalhes até sobrar duas ou três possibilidades. Conheça as suas possibilidades. Analise o mercado de trabalho, quais as especializações que o curso oferece. Visitar e conhecer lugares onde exerçam a profissão pode mostrar o que é o dia a dia da sua escolha.

Agora segue a entrevista com Luana Sandi de Oliveira um exemplo claro e prático do assunto em que discutimos:

– Como foi para fazer a escolha da profissão? Você fez algum estágio? Se fez, qual foi a importância dele?

A escolha da minha profissão foi depois da faculdade, mas fiz estágio pra descobrir o que eu não queria fazer, vou explicar. Queria fazer medicina, mas não estava completamente convencida, então consegui um estágio na farmácia do hospital aqui em Blumenau, durante 1 ano procurei ter contado com os médicos e presenciei alguns procedimentos cirúrgicos e atendimento de urgência , isso porque durante um período trabalhei na farmácia do Centro Cirúrgico do hospital, logo descartei essa profissão.
Então, fiz alguns testes vocacionais, esses deram como resultado, Direito e Psicologia.
Imediatamente prestei vestibular e comecei a cursar, assim como o estágio em um escritório que atendia a todas as áreas do Direito.
Pela minha experiência, acho de suma importância o estágio, mesmo que não seja exatamente na área em que você pretende atuar, nesse caso não era necessário curso técnico e nem superior, mas pude acompanhar de perto o que, no caso, eu não queria para minha vida.

– A faculdade que você fez é a que você queria?

Sim e não. Sim porque tem um leque enorme de áreas em que se pode atuar e também porque num geral todo mundo tem que saber um pouco de Direito, pra vida mesmo, pra se defender, é importante. E não porque quando terminei o curso me decepcionei, não exatamente com a profissão, mas com o campo de trabalho, hoje moro em Blumenau, a cidade de Santa Catarina que mais tem advogados, então a concorrência é enorme. Como isso este profissional tem que se superar e muito para se destacar e conseguir êxito financeiro, já que a maioria trabalha como autônomo.

– Seu emprego foi logo após o término da faculdade?

Sim, tive uma parcela de sorte, antes mesmo de acabar a faculdade, comecei a trabalhar no jurídico de uma empresa, na época esse serviço era terceirizado, logo que me formei assumi toda essa parte da empresa.

-O salário é o que você esperava?

Com certeza, hoje ganho muito mais do que a maioria dos profissionais, justamente por prestar assistência a empresa mesmo antes de concluir o curso, normalmente isso não acontece com quem acaba de sair do forno, até porque para exercer esta profissão precisa ser aprovado na prova da OAB, no último exame 10% dos candidatos foram aprovados, esse índice no Brasil, o que dificulta muito.Hoje o graduado que procura emprego sem ter sido aprovado neste exame, trabalha tanto quanto advogado, mas é remunerado como estagiário.


Para auxiliar na escolha da profissão existem sites que nos dão uma prévia dos cursos que podemos escolher. Os dois sites que seguem abaixo têm um conteúdo explicativo relacionado a cada curso, abordando diversos tópicos como: mercado de trabalho, remuneração e onde é possível trabalhar com o diploma adquirido.
Cola da Web – Guia de Profissões
Guia do Estudante, Abril – Guia de Profissões

| 25 Comentários

CURSO TÉCNICO: SINÔNIMO DE FACULDADE.

Continuar lendo

Publicado em Estudos! | 25 Comentários

CANIBAIS

Adolescentes.  Canibais.  Seres em comum. Um desesperadamente louco a procura de carne o outro de respostas. Respostas certas. Escolhas certas. O que fazer. A pressão chega. A responsabilidade chega. O VEEEESTIBULAR CHEGA. Chega numa fase boa. Boa de perder a cabeça.  Pensar no futuro. Aquele que antes só brincava, não tinha responsabilidades e ganhava tudo pronto agora precisa mudar. Analisar a sociedade. Analisar a si próprio. Achar seus talentos. Decidir qual será o seu futuro.

                Mudança radical não é? Depois tem quem diga que a nossa vida é fácil. Vida de canibal é que é fácil. Pessoas estão por todo lugar respostas não. E quando achamos as respostas nem sempre é o que esperávamos.  A sociedade não é o que se espera. Esperamos poder fazer o que gostamos, mas nem sempre é assim. Temos que fazer escolhas a partir de números se desejamos ter uma vida sossegada. Um emprego que nos garanta uma  “nota preta” no começo do mês.  É ai que entra as olheiras e quedas de cabelo de um adolescente. Escolher o que o agrade financeiramente e lhe de a tão sonhada satisfação profissional. Alguns se contentam em ganhar pouco, mas ter um sonho realizado. Outros preferem guardar os sonhos e ter a segurança financeira. Feliz são os que podem unir os mesmo.           

                Mas e quem ainda não tem noção disto¿ aqueles que só conhecem o mercado de trabalho por ouvir falar e não por estar nele¿ pois é dessa grande maioria que falamos. Maioria que hoje está atrás de testes vocacionais, entrevistas com profissionais, estágios…enfim o que possa oferecer respostas. E é isto que nós fomos fazer.  Entrevistamos, ou melhor, tomamos um café com o jornalista William Vargas.

                Jornalismo foi à escolha feita pela nossa peça Débora. Que pensa na satisfação profissional e para compensar o baixo salário pretende fazer especializações.

Algo que também foi mencionado pelo jornalista em diversas vezes é sobre o campo de trabalho em Concórdia. Cada região tem um perfil. As especializações devem ser feitas conforme o local em que serão exercidas. Assim o campo de trabalho poderá se expandir. 

O mercado de trabalho quer ver realmente O TRABALHO. Pessoas que aguentam a pressão, que sabem adaptar o seu trabalho com a mudança da sociedade e sempre estão atualizados vão muito além. Ter um diploma na mão em muitos casos não é tudo.

Mas a chave para o sucesso profissional e fazer as escolhas certas está em ser confiante e estar aberto para qualquer tipo de mundo. Quebrar barreiras e sair do básico e obvio é formar o caminho para novas chances. Com o olhar crítico e atento o mercado de trabalho e as oportunidades de emprego estarão de portas abertas ao novo PROFISSIONAL.

Publicado em Estudos! | 16 Comentários